A Flora e a Vegetação do Superdistrito Sadense (Portugal)

Carlos Silva Nieto

Resumen


Neste trabalho pretendeu-se estudar a flora e a vegetação da faixa litoral entre Tróia e Sines, numa perspectiva fitossociológica, a qual é cruzada com estudos geomorfológicos, pedológicos e climatológicos, efectuados com o objectivo de entender os principais factores que comandam a distribuição das comunidades vegetais. Em geral, a vegetação da área estudada é influenciada por um clima de características mediterrânicas com influência atlântica e um bioclima termomediterrânico inferior, segundo a classificação de (Rivas-Martínez, 1996).
    A flora e vegetação da área estudada foi organizada em seis grandes biogeossistemas, os quais se individualizam pelas comunidades vegetais que lhes são próprias e pelas características lito-morfo-pedológicas:
- praias e dunas litorais sob a influência da salsugem
- dunas e coberturas arenosas interiores
- arribas litorais areníticas e conglomeráticas
- superfícies constituídas pelos materiais areníticos e conglomeráticos da Formação da Marateca
- espaços húmidos com solos turfosos
- espaços húmidos sem solos turfosos
    A flora destas seis unidades é maioritáriamente mediterrânica, mas verifica-se a presença de muitos elentos florísticos atlânticos, como resultado das flutuações climáticas Quaternárias. A originalidade de muitas das comunidades vegetais identificadas, reside nesta sobreposição, no mesmo território, de espécies atlânticas e espécies mediterrânicas. Como resultado de uma profunda e longínqua acção antrópica, as comunidades vegetais correspondentes às várias cabeças de séries, estão pouco representadas e as etapas de substituição, mais ou menos degradadas, constituem

Texto completo:

PDF


ISSN: 1135-7924