En la tierra del "fútbol arte": Libros sobre el fútbol brasileño, la identidad nacional y la construcción de comunidades imaginadas en el Brasil moderno

Bernardo Borges Buarque de Hollanda

Resumen


El presente artículo tiene como objetivo mostrar la manera en que la historia social del fútbol en Brasil puede servir para reflexionar sobre la "brasilidad". El texto plantea un análisis con base en el género ensayístico, tanto de autores extranjeros como brasileños, así como de una lectura de una serie de libros en Brasil dedicados a la historia y identidad acerca de los estudios del fútbol. Si el género ensayístico ha sido privilegiado por muchos intelectuales, con vistas a una comprensión totalizante del país, este mismo tipo de escritura ha sido movilizado para una interpretación de las representaciones sociales respecto a la práctica profesional del fútbol. El argumento del texto sostiene que la síntesis de identidad favorecida por la idea —de orden artística o culturalista— de un unitario "país del fútbol" termina por eludir diferencias sociales y económicas en la construcción del Brasil moderno como una "comunidad imaginada".

Palabras clave


fútbol; identidad nacional; imaginario; ensayo; intelectuales brasileños

Referencias


Aguiar, F. (2003). Notas sobre o futebol como situação dramática. En A. Bosi (Ed.). Cultura brasileira: temas e situações (pp. 95-123 ). São Paulo: Editora Ática.

Alfonsi, D. (2013). Within the dialog between anthropolgy and museums. Vibrant – Virtual Brazilian Anthropology, 10(1), 552-575.

Anderson, B. (2008). Comunidades imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras.

Bourdieu, P. (1990). Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense.

Candido, A. (1970). Dialética da malandragem: caracterização das 'Memórias de um sargento de milícias'. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, 8, 67-89.

DaMatta, R. (1979). Carnavais, malandros e herois: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Guanabara.

Elias, N., and Dunning, E. (1986). Quest for excitement. Oxford: Basil Blakwell.

Fausto, B. (2010). Futebol e cinema: um mundo masculino. En Memórias de um historiador de domingo (pp. 46-62). São Paulo: Companhia das Letras.

Fausto, B. (2009). O fio invisível do Diamante Eterno. En O crime do restaurante chinês: carnaval, futebol e justiça na São Paulo dos anos 1930 (pp. 136-154). São Paulo: Companhia das Letras.

Fiorin, J.L. (2009). A construção da identidade brasileira. Revista Bakhtiniana, 1(1), 115-126.

Flusser, V. (1998). Fenomenologia do brasileiro: em busca de um novo homem. Rio de Janeiro: Editora UERJ.

Franco Jr., H. (2007). A dança dos deuses: futebol, sociedade, cultura. São Paulo: Companhia das Letras.

Freyre, G. (2001/1933). Casa-grande & senzala: introdução à história da sociedade patriarcal no Brasil. Rio de Janeiro: Record.

Guedes, Simoni Lahud. (1977) O futebol brasileiro: instituição zero. Rio de Janeiro: PhD Social Anthropology.

Helal, R. (2001). A invenção do país do futebol: mídia, raça e idolatria. Rio de Janeiro: Mauad.

Leite Lopes, J. S. (2006). A morte da Alegria do Povo. En V.A. de Melo y M. Alvito (Eds). Futebol por todo o mundo: diálogos com o cinema (pp. 40-69). Rio de Janeiro: FGV Editora.

Levine, R. M. (2001). Pai dos pobres? O Brasil e a Era Vargas. São Paulo: Companhia das Letras.

Mills, J. (2005). Charles Miller, o pai do futebol brasileiro. São Paulo: Panda Books.

Moraes, M. (1995) Futebol é arte: Domingos da Guia, Pelé, Zizinho. Rio de Janeiro: MIS Editorial

Morais, P. de. (1968). O futebol e a psicologia brasileira. En Tradição e transformação do Brasil (pp. 33-57). Guanabara: Editora Leitura.

Pasolini, P. P. (2005). "O gol fatal". In Folha de São Paulo. São Paulo: 06/03/2005, 1-4.

Pereira, L. A. de M. (2001). Footballmania: uma história social do futebol no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Prado, D. de A. (1997). Seres, coisas, lugares: do teatro ao futebol. São Paulo: Companhia das Letras.

Ramos, N. (2007). Os suplicantes: esporte, futebol. En Ensaio geral: projetos, roteiros, ensaios, memória. São Paulo: Globo.

Ribeiro, L. (2007). Futebol e globalização. Jundiaí: Fontoura.

Risério, A. (2007). A escola brasileira de futebol. En A utopia brasileira e os movimentos negros (pp. 113-134). São Paulo: Editora 34.

Rodrigues Filho, Mário (2003). O negro no futebol brasileiro. Rio de Janeiro: Mauad.

Rosenfeld, A. (2007). Negro, macumba e futebol. São Paulo: Editora Perspectiva.

Schwarz, R. (1973). As ideias fora do lugar. Revista Lua Nova. São Paulo, 150-161.

Wisnik, J. M. (2008). Veneno remédio: o futebol e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras.

Witter, José Sebastião (1990). O que é futebol. São Paulo: Brasiliense.






Copyright (c) 2020 Papeles del CEIC. International Journal on Collective Identity Research

Papeles del CEIC

ISSN: 1695-6494

Centro de Estudios sobre la Identidad Colectiva

Facultad de Ciencias Sociales - Universidad del País Vasco - Departamento de Sociología 2

Barrio Sarriena, s/n - C.P.: SP 48940 Leioa (Bizkaia)

Tel.: +0034 946015132

correo-e